quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Renata alternativa

Não me conformo em ter desenvolvido na adolescência um estilo "paty".
Eu crecí e hoje ainda gasto tempo e dinheiro no salão com unhas vermelhas, francesinhas, escova e chapinha. Sem contar que eu adoro um saltão e detesto tênis.

Meu sonho sempre foi ter um cabelo dread ou rastafari (que na verdade eu nunca sei a diferença), ou então pra ser mais fácil queria ter um cabelo lisinho ou com cachinhos bonitos ou raspadinhos pra eu sair com ele molhado ou então qualquer coisa que não fosse ficar uma hora com o secador ligado na cabeça. E nem vem com esse papo de progressiva que essa meleca não funcionou no meu cabelo e nem foi falta de tentativas.

Voltando ao assunto, eu queria mesmo era ser estilo "largadona", andar de rasteirinha, short, vestido indiano, sem esmalte e me sentir linda assim.

Também queria tocar violão ou percussão extremamente bem e aprender inglês pra ficar o dia todo cantando igualzinho o Jason Mras e o Jack Johnson.

As perguntas que não querem calar:

Se nada der certo eu posso largar tudo e virar hippie?
Será que no alge dos 29 anos eu ainda posso mudar de estilo ou vai ser muito brega?



7 comentários:

Dália disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
vc é uma piada...
já eu queria ser mais mulherzinha...hahhaha

bjokass

Beth disse...

Cada um tem seu jeito. E muitas vezes, notamos que de tempos em tempos mudamos um pouco o nosso jeito.
Eu sou bem flexível. Não sou totalmente Paty, nem totalmente largada. Alterno, no meu dia-a-dia, estes jeitos com total tranquilidade.
Posso sair mega-perua hoje à noite e amanhã estar de longuinho estampado, sandália rasteira (que adoro),bem à vontade.
Acho que o barato é ser do jeito que quiser, que achar que está bom.
Mas gosto de estar com unhas feitas, inclusive coloco silicone nas minhas que são fracas e quebradiças. E aí, uso e abuso da variedade de esmaltes. Mas detesto, não uso mesmo, unha estampadinha, desenhadinha, acho cafonérrimo. Mas sei que muita gente gosta e respeito, claro.
Não dispenso um batom, se me ver na rua sem um, pode saber que algo aconteceu, ele saiu e eu nem notei.
E amo brincos, adereços, colares, pulseiras.
Cabelos eu uso sempre naturais, no caso são lisinhos, eu saio sempre com eles molhados, secando ao vento.
Mas você me verá também por aí de bermuda jeans, tênis All Star, camiseta.
Sou do jeito que cismar e do jeito que o lugar onde vou permitir.
Quanto ao peso, queridona, cuide-se. Se você não quer mais os problemas e dificuldades (e riscos) da obesidade, está certinha, vale abrir mão de algo que não traz nada de bom.
Se está cheia de comprar roupas cada vez maiores, melhor ainda. Porque felizmente, sob um ângulo e, infelizmente, sob outro, as confecções agora fazem peças cada vez maiores e isto é um perigo. Faz com que sempre haja um número acima.
O que pode fazer acomodar.
Você merece dar um jeito nisso, com calma, com bom senso, mas sem postergar mais algo que tanto a incomoda tá?
Faça acontecer!
Beijo, estou como sempre torcendo.

Roberta (Bettinha) disse...

Morri de rir...
Eu sempre fui basicona viu rasteirinha, bermudinha e tem horas q saio por ai sem lenço e sem documento rsrs.
Porém não fico sem fazer as unhas e arrumar cabelo rs, pq me sinto a última depois das últimas kkkk....
Acho que na verdade o que importa de verdade é sermos felizes sabe, aprendi uma coisa ano passado que passamos mto tempo correndo atrás de algo que nem é pra gente rs e qdo cai a ficha o momento feliz passou !!!

E ò eu bem queria essa perua Kombi que tá ilustrando seu post kkkkk

Bjos

Ela só quer só pensa casar!!! disse...

Rê vc pode tudo. Desde que queira e se sinta bem.
Eu apoio.
Bjo

Vania San disse...

Eu não ligo muito para "coisas de menina" mas quando tenho que encarar os "outros", faço as unhas, arrumo os cabelos, etc.

uma das razões pelas quais quero emagrecer é que com o meu peso, ficar largada é relaxo, e se eu for magra vou ser "despojada" rssss

adoro um shorts e camiseta e chinelão...

mas por enquanto tenho que "manter" uma aparência de "eu me cuido" senão vão me internar de vez rss

beijos

Fafá disse...

amiga o negócio é aceitar seu lado paty, eu tb sou, as x da muito trabalho e muita vontade de virar hippie, mas nao sei oq seria de mim sem chapinha, maquiagens e outros mimos q só as mulherzinhas sabem e gostam, kkkk.
Quanto a estar acima do peso, nunca é tarde pra tomar uma decisão e recomeçar, marca uma nutri,depois que eu to me emendando e tomando jeito, eu acredito q tenha solução pra todo mundo amiga, to na féeeee, boa sorte, beijooooo.

Fernanda disse...

não só pode como DEVE! acho muito chato ser a mesma sempre...vivo me reinventando! mudando estilo das roupas, do cabelo, das ideias e por ai vai!
a vida é isso amiga, se joga!